terça-feira, 9 de abril de 2013

O incrível universo dos circos antigos

Se tem uma coisa que me fascina e muito, essa é o universo circense. Apesar do meu medo incontrolável por palhaços (Sim, me borro toda só de pensar) os acrobatas, dançarinas, mágicos e afins me fazem delirar. Quem nunca quis fugir com o circo? Na verdade eu nunca quis por causa dos palhaços, mas então... Se o Circo ja é um lugar mágico, imagina um circo vintage? Só não concordo com os animais muitas vezes utilizados nos espetáculo nas décadas passadas, mas tirando esse fator, a magia e o encanto eram extremos. Eis aqui um breve resumo da história do Circo.

Dos chineses aos gregos, dos egípcios aos indianos, quase todas as civilizações antigas já praticavam algum tipo de arte circense há pelo menos 4 000 anos- mas o circo como nós conhecemos só começou a tomar forma durante o Império Romano. O primeiro a se tornar famoso foi o Circus Maximus, que teria sido inaugurado no século VI A.C., com capacidade para 150 000 pessoas. A atração principal eram as corridas de carruagens, mas com o tempo, foram acrescentadas as lutas de gladiadores, as apresentações de animais selvagens e de pessoas com habilidades incomuns, como engolidores de fogo. Destruído por um grande incêndio, esse anfiteatro foi substituído em 40 A.C. pelo Coliseu, cujas ruínas até hoje compõem o cartão postal número um de Roma. A Roma por sua vez, tem papel muito importante na história do circo.
Tudo isso, porém, não passa de uma pré-história das artes circenses, porque foi só na Inglaterra do século XVIII que surgiu o circo moderno, com seu picadeiro circular e a reunião das atrações que compõem o espetáculo ainda hoje. Cavaleiro de 1 001 habilidades, o ex-militar inglês Philip Astley inaugurou, em 1768, em Londres, o Royal Amphitheatre of Arts (Anfiteatro Real das Artes), para exibições eqüestres. Para quebrar a seriedade das apresentações, alternou números com palhaços e todo tipo de acrobata e malabarista.
O sucesso foi tamanho que, 50 anos depois, o circo inglês era imitado não só no resto do continente europeu, mas atravessara o Atlântico e se espalhara pelos quatro cantos do planeta.

Uso de animais em circos
Há uma grande controvérsia sobre o uso de animais em circos, há duas correntes de pensamento, com prós e contras o uso de animais em shows.
Segundo a corrente de pessoas que são contra o uso de animais em circo, seu uso tem sido gradativamente abandonado, uma vez que tais animais por vezes sofriam maus-tratos (tais como dentes precariamente serrados, jaulas minúsculas, estresse etc.) e, além disso, eram freqüentemente abandonados, já que a manutenção de grandes animais, como tigres e elefantes a demandavam muito dinheiro. Há ainda inúmeros casos em que acidentes, principalmente envolvendo animais selvagens, nos quais pessoas saem feridas ou até mesmo mortas, como o caso de uma garota chinesa, atacada por um tigre.

Vamos fazer uma viagem aos vintage circus por meio de fotos?

Senhoras e senhores, é com grande prazer que lhes apresento o circo do passado!


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário: