quarta-feira, 25 de abril de 2012

Timeline dos esmaltes

Apesar de tantos usos na contemporaneidade, o esmalte já integrava o cotidiano da realeza do Antigo Egito. Por volta de 3500 a.C., as mulheres egípcias aplicavam uma tintura de henna preta nas unhas. As cores mais vibrantes ficavam relegadas ao uso da família real e chegavam a despertar algumas preferências entre as rainhas do Egito. Cleópatra tinha uma clara preferência pela tonalidade vermelho-escura. Já Nefertiti tinha mais gosto pelo esmalte de tom rubi.
A tecnologia para o tratamento das unhas ficou relativamente estagnado até o século XIX. Nessa época, os cuidados se restringiam à obtenção de unhas curtas e que estivessem moldadas por uma boa lima. Em alguns casos, as unhas eram ligeiramente perfumadas com óleo e polidas com uma tira de couro. Numa época em que o recato era uma importante virtude, a extravagância dos esmaltes não seria nenhum pouco prestigiada.
Até essa época, uma das grandes descobertas foi a invenção do palito até hoje utilizado para a remoção das cutículas. No começo do século XX, os esmaltes começaram a recuperar espaço com o uso de soluções coloridas que não permaneciam fixadas mais do que algumas horas. Somente em 1925, durante estudos que desenvolviam tinturas para carros, foram descobertas as primeiras soluções que se assemelham com os esmaltes de hoje. 
Na sua primeira versão, o produto era de um tom rosa-claro e era aplicado no meio das unhas. Chegando à década de 1930, já podemos notar que a “pintura” nos dedos do pé e da mão fazia muito sucesso entre as grandes estrelas do cinema hollywoodiano, como Rita Hayworth e Jean Harlow. No ano de 1932, os irmãos Charles e Joseph Revlon custearam a invenção de um novo tipo de esmalte, mais brilhante e com um leque variado de tonalidades.

Rita Hayworth
 Jean Harlow
Nas décadas seguintes, vemos que a tecnologia empregada foi se tornando cada vez mais complexa. As unhas postiças parecem como uma boa alternativa de se chamar a atenção sem gastar horas na manicure. Há poucos anos foram disponibilizadas máquinas capazes de imprimir uma imagem digital nas unhas. Difícil é saber onde a indústria da beleza pode chegar a fim de atiçar a vaidade feminina

Cronograma

Anos 20
Nas unhas, a década de 20 foi um marco para a história do esmalte. Michelle Menard se inspirou nas tintas para carros para criar o esmalte como o conhecemos. A partir daí deu pra brincar bastante com as opções de cores nos anos seguintes, mas assim como o batom, o vermelho escuro era o mais visto nas unhas de Hollywood.

Anos 30
A Revlon coloca uma explosão de cores no mercado, e surge a unha postiça, em 1934, inventada por um dentista.
Seguindo a filosofia da pintura de automóveis, as unhas deixam de ser tingidas, e passam a ser cobertas por uma camada de esmalte.

Anos 40
As cores mais comuns eram vermelho, mostarda e malva, geralmente combinadas aos looks.

Nos anos 60
Atrizes como Farrah Fawcett, uma das panteras, lançaram a moda dos esmaltes rosinhas, bem pastel, seguindo o tom do batom. Até o branco valia!

 Farrah Fawcett

 Tons pastel

Anos 70
Império da unha postiça e dos salões especializados. Ainda nos anos 70, o movimento punk lançou o statement da unha preta, que é usada até hoje.
Anos 80
As unhas assumiram seu espírito fashion. Quem não passou um esmalte rosa shocking que atire a primeira lixa de unha! Os comprimentos eram enormes! Unha tinha que ser colorida e brilhar. 

O que marcou: a linha neon da American Apparel, com amarelos, azuis e rosa, tudo shocking. 
Nos anos 90
As unhas encurtaram, ficaram quadradas, e o minimalismo da época fez com que as cores preferidas fossem as tradicionais, como vermelho, nudes e pinks.
Fez sucesso o vinho da Chanel, o esmalte Vamp, usado pela Uma Thurman em Pulp Fiction.
Os grunges lançaram o esmalte lascado, preenchido com canetinha, que seria o craquelado de hoje.

Uma Thurman em Pulp Fiction
 
vinho da Chanel
 
Anos 00
O mundo das unhas enlouqueceu. Nunca a mulher teve tantas opções: de adesivos a piercings, passando por uma indústria de esmaltes que oferece texturas e brilhos de forma nunca antes imaginada.
Tem esmalte estilo crakle, que dá efeito craquelado, esmaltes magnéticos que criam ondinhas de cor, flocados, com partículas de celofane brilhantes, e até pintura com degradê (ombré), feita com esponja. Unhas decoradas e adesivadas com uma variedade incrível.
Também é a era dos blogs de esmaltes e dos bares de unha! Uma loucura!

esmaltes magnético
 craquelado
 flocados

 degradê/ombré

Unhas divertidas




E ai, qual década vocês preferem?
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Raquel disse...

Ah sim... Com toda certeza os anos 70! *-*